Saúde

Iris Bessa

Florianópolis, SC
Vencedora no eixo setorial Saúde

Trajetória

A carioca Iris Bessa sempre foi uma defensora do diálogo aberto. Nascida em uma família humilde no interior do Rio de Janeiro, sonhava em ser psicóloga, mas a vida arranjou outro caminho para que ela assumisse um lugar de escuta. Ingressou no serviço público como professora em 1991. Ao longo da carreira, especializou-se em Pedagogia e trabalhou em diversas escolas e universidades ao redor do país. Casada e com filhos, precisou mudar de estado algumas vezes por causa da profissão do marido, que era militar. Morou por alguns anos em Roraima, onde teve o primeiro contato com a luta dos povos originários. Mas a sua relação com a causa indígena só teve início em um destino bem longe dali.

Quando precisou se mudar para a capital catarinense, prestou concurso para atuar como pedagoga e ingressou na Secretaria de Estado do Desenvolvimento Social de Santa Catarina. Em 2013, o reconhecimento pela excelência do seu trabalho veio com uma gratificação em forma de desafio: assumir a Secretaria do Conselho Estadual dos Povos Indígenas (CEPIn/SC) do estado. Na época, a pasta estava completamente desorganizada e não era vista com a devida importância. Mas ela queria fazer diferente e fez. Reuniu-se com lideranças indígenas e, com o tempo, conquistou a confiança do grupo. Quando a pandemia atingiu o estado, Iris lutou para que as vulnerabilidades dos povos Guarani, Kaingang e Xokleng fossem consideradas e garantiu assistência aos mais de 12 mil indígenas residentes na região. Em parceria com órgãos públicos e sociedade civil, criou um amplo projeto para minimizar os impactos do coronavírus, que viabilizou a desafiadora logística de arrecadação de alimentos, insumos e Equipamentos de Proteção Individual (EPIs). Por acreditar no diálogo como caminho para fazer a diferença, Iris Bessa é vencedora no eixo setorial Saúde do Prêmio Espírito Público 2021.

Assine nossa newsletter

[email protected]o.org.br