Gente, Gestão e
Finanças Pública

Virgínia Bracarense Lopes

Brasília, Distrito Federal

Trajetória

Virgínia Bracarense Lopes encontrou sua vocação ao entrar para a graduação em Administração Pública, na Fundação João Pinheiro, em Minas Gerais. Imersa em um ambiente público, dentro de uma universidade com professores do estado, a mineira se identificou com as possibilidades de inovação e mudanças que poderia fazer como profissional pública. Tal vontade a fez se apaixonar justamente pela Logística, uma área que, como Virgínia conta, é muitas vezes menosprezada por ser uma “simples área-meio”, mas que é responsável por tornar políticas públicas mais eficientes — e, por vezes, viabilizá-las. Hoje, especialista em recursos logísticos e gestão governamental, a profissional conta com uma trajetória de 13 anos, tendo sido diretora da Central de Compras do Ministério da Economia.

Virgínia começou a trajetória como profissional pública em 2006, na Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão de Minas Gerais. Durantes os anos em que trabalhou para o estado mineiro, atuou para trazer melhorias à parte processual de compras do governo. Seus esforços geraram economias dentro do poder público e fomentou o negócio de pequenos e microempreendedores da região. De forma indireta, o impacto gerado por Virgínia era sentido indiretamente pela população, já que o governo teve a capacidade de investir melhor os recursos em áreas finalistas, como Saúde e Educação.

Com o tempo, Virgínia passou a almejar novos patamares e testar desafios maiores. Decidiu, então, prestar um novo concurso; desta vez, para a União. Trabalhar no âmbito federal era uma oportunidade para que a profissional pública tivesse mais chances de causar um impacto maior e com mais projeção nas áreas de compras do governo. Isso porque orientações gerais para o resto do país são feitas inicialmente a nível federal. Assim, em 2012, a mineira assumiu, em Brasília, o cargo de especialista em Políticas Públicas e Gestão Governamental no Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão.

Um dos maiores desafios para Virgínia era o estigma que a área de compra pública tinha perante a sociedade. A profissional sempre teve como valor a transparência. “Quando estamos falando de recursos públicos, a sociedade e os cidadãos devem saber o que está sendo feito com eles”, explica. Investiu, então, na prestação de conta em seu trabalho. Além disso, se empenhou para que as compras fossem feitas com mais eficiência e economia, fazendo com que o Estado gastasse menos com ele mesmo e mais com que era prioritário para a sociedade, como as áreas finalistas. Um exemplo disso foi o TaxGov, serviço de transporte sob demanda para profissionais públicos e colaboradores no Distrito Federal, que reduziu os custos com motoristas particulares para os servidores públicos.

Foi com esse pensamento que a profissional assumiu, em 2015, a direção de Compras do Ministério da Economia. Para Virgínia, a área é estratégica para que as políticas públicas possam ser feitas. A especialista explica que isso só é possível a partir de medidas sustentáveis e inovadoras, que pode ser feito por meio de parceria entre o público e o privado, ou a automatização de serviços simples, como a aquisição de equipamentos para almoxarifado. Apesar de parecer algo burocrático, o resultado dessas práticas afeta diretamente a sociedade, por “colocar o dinheiro onde ele deve estar”, como diz a própria Virginia; em ações públicas que transformem a vida da pessoas.

Carla Guaitanele – Finalista

Clique e confira essa historia

Assine nossa newsletter

[email protected]