Saúde

Fabio Gomes de Matos e Souza

Fortaleza, Ceará

Trajetória

Fabio Gomes de Matos e Souza sempre se guiou por dois desejos: cuidar dos outros e formar pessoas que tenham esta mesma vontade. Não é por menos que seus propósitos se tornaram a vocação de sua vida, fazendo com que o cearense natural de Iguatu se tornasse médico e professor. O ímpeto de querer acolher as pessoas veio cedo para Fabio, ainda na época da escola. Quando garoto, estudou em um seminário onde teve uma educação humanista. Ele conta que foi durante esse período que percebeu a importância de dar esperanças aos outros.

Há 28 anos como profissional público, o caminho que seguiu o levou à área da saúde mental. Atualmente, Fabio é referência no tratamento de prevenção e cuidado de doenças mentais, como a depressão, a bipolaridade e os transtornos alimentares. A escolha pela Psiquiatria se deu justamente por esse ser um ramo tão delicado e estigmatizado, mas que afeta uma grande parcela da sociedade. O médico conta que tais males são responsáveis por mais de um quarto dos afastamentos no país. O profissional acredita ainda que os cuidados com a mente são importantes para que todo o corpo esteja são e que outras doenças sejam tratadas. A Psiquiatria é a “clínica das clínicas”, explica.

Falar sobre depressão e outros transtornos psiquiátricos ainda é um tabu. Ao longo da última década, porém, os estigmas a respeito do tema diminuíram — muito por causa do trabalho de Fabio. Professor Titular de Psiquiatria da Universidade Federal do Ceará, o profissional público é responsável pela coordenação de projetos voltados para a preservação e valorização da vida. Um exemplo disso é a “Caminhada pela Vida”, uma marcha que influenciou o início do Setembro Amarelo, a maior campanha de conscientização e prevenção do suicídio no país.

Fabio também foi o responsável pela criação do Programa de Apoio à Vida (PRAVIDA), pioneiro no Brasil e especializado na prevenção do suicídio. Criado em 2004, a iniciativa surgiu após o médico notar a quantidade de pessoas que chegavam ao Instituto José Frota, em Fortaleza, que tinham a intenção ou tentaram tirar sua vida. Ele, então, coordenou a criação de um serviço especializado para acolher esses pacientes e prover a eles o atendimento adequado. O projeto, que conta com uma equipe interdisciplinar, é referência na prevenção do suicídio.

Os projetos do profissional público funcionam dentro de uma unidade de saúde mental que também deve sua existência a Fabio. A criação de um ambulatório psiquiátrico no hospital universitário da Universidade Federal do Ceará foi uma conquista do médico, que reuniu uma equipe integrada e multidisciplinar, formada por psicólogos, psiquiatras, assistentes sociais, enfermeiros, nutricionistas, fisioterapeutas, entre outros. E mesmo que o serviço esteja dentro da universidade, ele foi para além dos muros a instituição acadêmica, atendendo à população cearense.

O trabalho de Fabio é referência na ramo da Psiquiatria; não só no atendimento aos pacientes, como também no desenvolvimentos de novos profissionais da área. Por ano, o professor contabiliza — e se orgulha — de contribuir na formação de 150 de futuros médicos que se especializam na área psiquiátrica. Isso, sem contar os inúmeros psicólogos, enfermeiros e assistentes sociais que são influenciados pelo profissional público. Todos com a mesma sensibilidade à importância da saúde mental. Dessa forma, Fabio segue com sua missão de mostrar que os cuidados com a mente não é uma mera besteira e que deve ser levado com seriedade, como qualquer outra doença. Sua luta é que o tratamento e acompanhamento desses transtornos sejam acessíveis a todos, gratuitos e universais.

Carla Guaitanele – Finalista

Clique e confira essa historia

Assine nossa newsletter

[email protected]